PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

A pornografia se reinventa e invade o Telegram

Universa

19/07/2020 04h00

Photo by Startup Stock Photos from Pexels

Quem não trabalha com conteúdo adulto na internet não faz ideia do perrengue que é manter as contas das redes sociais no ar.

Enquanto algumas empresas grandes da pornografia mainstream, como o Pornhub, aparentemente não sofrem nenhum tipo de censura, no Instagram por exemplo, produtores menores de conteúdo – e até com conteúdo menos explícito – vivem tendo suas contas bloqueadas sem que as redes sociais ofereçam muita explicação (para que se adequem às políticas de uso, que são extremamente confusas).

A boa notícia é que esse é um mercado que vive se reinventando e agora não está sendo diferente. Pra quem não sabe, foi a indústria de entretenimento adulto que popularizou o VHS e, anos depois, o modelo de assinatura para o consumo de conteúdo na internet. Pois é! Agora, também é o mercado adulto que começa a utilizar o Telegram, serviço similar ao whatsApp, de uma forma, digamos, inovadora.

Veja também

O Telegram, caso você não saiba, é um app alternativo ao whatsApp. Confesso que só comecei a usar quando o whats ficou fora do ar. Acabei testando e gostando. Mas, como nem todo mundo está lá, depois deixei instalado no meu celular sem muito uso. Até que os grupos de sexo começaram a aparecer. E, claro, meu interesse pelo Telegram voltou a brilhar.

O Luiz, que é desenvolvedor e trabalha com o aplicativo YSOS, para casais interessados em ménage e swing, explica o sucesso recente do Telegram:

"Ele é extremamente seguro (ao ponto da Rússia tê-lo bloqueado, por não conseguir quebrar a sua encriptação). Para os desenvolvedores também oferece recursos legais (como mensagens automáticas para grupos específicos), além de um controle mais refinado que o WhatsApp."

No ramo da putaria, que é o que a gente gosta, o primeiro grupo que conheci foi o do Rafa Vilaça. Eu já o acompanhava no Instagram e sempre gostei do jeito despachado e desbocado que ele fala de sexo. Ele explica o motivo de ter criado a conta por lá:

"Decidi criar o grupo do Telegram pq lá posso falar sobre assuntos +18 sem nenhum tipo de censura. Além de conseguir postar videos grandes, existe toda a funcionalidade de um canal estilo chat no formato de um diário, que as pessoas podem ir acompanhando dia a dia. Além de enquetes e comunicação direta com a audiência."

Pela sua experiência, as publicações que geram mais engajamento são de pequenos trechos (às vezes em formato de GIF) de pornografia, seguido de curiosidades sobre sexo.

E, falando em curiosidades sobre sexo, a plataforma Quente e Úmido, que faz uma curadoria de filmes, cursos, produtoras e tudo mais relacionado ao mercado adulto, também compartilha no Telegram conteúdo diário. Prezando pela qualidade e com um olhar afiado para a diversidade, é uma opção incrível pra quem quer fugir do pornô mainstream sem deixar o tesão de lado.

Outro que anda engajando muita gente por lá é o Mahmoud. Conhecido por ter participado do BBB 18, o sexólogo faz sucesso ao gerar entretenimento com boas doses de educação sexual no Telegram.

Por último, também dou minha palhinha no canal do Sexlog, com um grupo criado depois de ter tomado alguns bloqueios no Instagram sem aviso ou explicação.

E você, participa de grupos adultos de whatsApp ou Telegram? Acha que fazem sentido ou prefere nem se aventurar? Me conta nos comentários!

Sobre a autora

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está – não estamos – só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Sobre o blog

Dados e pesquisas sobre sexo e o comportamento dos brasileiros entre quatro paredes. Muita informação, tendências, dados – e experiências próprias! - sobre o assunto. Um espaço para desafiar tabus e moralismos em torno do sexo.

Mayumi Sato