PUBLICIDADE

Topo

Em isolamento longe do parceiro? Veja dicas para praticar sexo virtual

Universa

17/05/2020 04h00

Photo by Retha Ferguson from Pexels

Seguimos sem saber até quando o isolamento social será recomendando e, para alguns casais, a situação é ainda mais difícil. Muitos que estavam geograficamente separados antes da pandemia estourar, não sabem quando poderão se encontrar, ao vivo, novamente.

Em uma pesquisa realizada em uma rede social de swing, o Sexlog, conversei com cerca 260 pessoas que vivem essa situação. A maioria está confiante quanto a continuidade do seu relacionamento, mas admitem que esse é um fator grande de ansiedade.

Veja também:

Marina A., de 26 anos que mora em Berlim e namora há 4 anos um rapaz de São Paulo, comenta:

"Estávamos acostumados a nos ver a cada 3 ou 4 meses e ainda não estamos há tanto tempo separados desde a pandemia. O pior agora é não ter uma data, uma passagem comprada. Algumas inseguranças sobre manter o relacionamento acabam batendo mais forte."

E se é verdade que, mesmo vivendo sob o mesmo teto é preciso se dedicar para não deixar o tesão cair no tédio, à distância a história é a mesma.

Ao conversar com casais distantes, reuni algumas dicas que eles têm utilizado e têm garantido o prazer a dois e um bom sexo virtual:

  • Marque encontros especiais, além das conversas normais do dia a dia via whatsapp: avise seu parceiro ou parceira de que vocês terão um encontro especial na sexta a noite. Ao longo da semana comente que você está preparando algo para a ocasião, sugira que ele ou ela compre um vinho para a data. Aproveite para se arrumar, perfumar, usar aquela roupa mais provocante que está encostada no armário. Divirta-se como se vocês estivessem indo a um encontro pela primeira vez!
  • Se a sua parceira ou parceiro andam estressados e não conseguem relaxar, encontre o momento certo para puxar um papo picante, perguntando coisas como: "qual foi a nossa transa que você mais gostou? O que você gostaria de fazer comigo agora? Posso contar um sonho erótico que tive com você?" A partir daí vai ser mais fácil que os dois entrem no clima certo!
  • Sexo virtual pode ser por áudio, imagem ou texto. Variar as formas de excitar quem está longe também traz um fator a mais de surpresa. Mande um áudio narrando um conto erótico que te excita, só um trechinho pra deixar a curiosidade no ar. Imagens que te dão tesão também merecem ser compartilhadas, além de claro, bons nudes!
  • Se vocês forem mais safadinhos, uma opção é se inscrever em sites ou aplicativos de encontros – aqueles específicos para quem procura menage, por exemplo. O Ysos é uma boa opção: vocês têm controle do mesmo perfil, podem juntos escolher com quem flertar, trocar mensagens e nudes por lá, com o adicional de ter um fator a mais de segurança (pois não permitem baixar ou dar print nas fotos) que aplicativos como instagram e whatsapp não oferecem.
  • Brinquedinhos eróticos também funcionam super bem. Alguns podem ser conectados via celular, a distância, com uma pessoa controlando a intensidade ou tipo de vibração e a outra curtindo o momento. Mas brinquedos mais tradicionais também podem ser interessantes e trazer uma novidade à transa virtual.

Na pesquisa que fiz com casais distantes, a maior parte se diverte com nudes, seguido de chamada por vídeo, sexting (mensagens de texto picantes) e, por fim, os áudios mais ousados. E eles são unânimes, não dá pra fazer de um jeito só, é preciso variar.

O Bruno S. foi além e pediu para a namorada enviar, pelos correios, uma calcinha para ele matar as saudades.

E você, como está se virando nesse momento? Tem dicas pra compartilhar com a gente? Deixe nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está – não estamos – só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Sobre o blog

Dados e pesquisas sobre sexo e o comportamento dos brasileiros entre quatro paredes. Muita informação, tendências, dados – e experiências próprias! - sobre o assunto. Um espaço para desafiar tabus e moralismos em torno do sexo.

Mayumi Sato