menu
Topo
Mayumi Sato

Mayumi Sato

Categorias

Histórico

As mentiras mais contadas em apps de namoro

Universa

14/06/2018 05h00

Uma mentirinha aqui ou ali, um truque na hora do encontro… quem nunca passou por isso? Pensando em quem já viveu esta situação, um estudo da Universidade de Stanford analisou as mentiras mais comuns nos apps de encontros amorosos.

O resultado é um pouco diferente do que você pode imaginar:

Veja também

  • 37% das pessoas mentem na descrição do perfil

Quem mente nos apps costuma fazê-lo com uma descrição exagerada de si mesmo. Sabe aquele esporte que você deixou de praticar há um ano, mas mantém no perfil para impressionar outras pessoas? Este tipo de mentirinha inocente 😉

  • 30% mente sobre estar disponível para encontros

O crush não tá afim de te encontrar, mas marca o encontro e na última hora cancela o rolê com uma desculpa esfarrapada. É aquela pessoa que não quer se mostrar ou parecer tão disponível, o famoso "to afim, mas vou fingir que sou difícil pra pessoa valorizar mais", sabe?

  • O "não" não costuma ser um "adeus"

O estudo também aponta que quem costuma enganar os crushs também não quer dispensá-los de vez, sempre deixando uma pontinha de esperança ao fim das conversas. Ex: Não posso hoje porque o cachorro comeu o meu tênis, mas vamos marcar outro dia?

  • Mentirosos sentem a mentira de longe

Quem costuma mentir tem muito mais facilidade em perceber quando é alvo dessas enganaçõeszinhas também!

Apesar dos truques e mentirinhas, o estudo concluiu que a maior parte das pessoas envia mensagens honestas (apenas 7% foram classificadas como enganosas). Este é um grande passo para gerarmos confiança em relações que, cada vez mais, começam online.

E você, já mentiu para o crush? Ou já foi alvo de alguma mentirinha? Comenta aqui.

Sobre a autora

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está – não estamos – só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Sobre o blog

Dados e pesquisas sobre sexo e o comportamento dos brasileiros entre quatro paredes. Muita informação, tendências, dados – e experiências próprias! - sobre o assunto. Um espaço para desafiar tabus e moralismos em torno do sexo.