PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

As websurubas estão em alta e vieram para ficar! Adeptos dão suas dicas

Universa

05/07/2020 04h00

Crédito: Nantonov/iStock

Enquanto a vacina para a COVID-19 não vem, é prudente que o distanciamento social seja praticado ao máximo e isso inclui, é claro, esquecer as aglomerações sexuais – vulgo surubas – pelo menos por enquanto. A sorte é que a gente vive no futuro! E, com um pouco de criatividade, versões online desses encontros safados já vêm acontecendo por aí e atraindo muita gente.

Há pelo menos duas festas oficiais acontecendo periodicamente através do aplicativo zoom e é possível se inscrever pelos instagrams @sentomesmo e a @festadando. Nelas você se conecta a partir de um link liberado minutos antes da festa apenas para quem pagou os ingressos e teve seu cadastro aprovado, evitando a entrada de penetras virtuais.

Veja também

DJs conhecidos da noite (e da web) vão se revezando no som, enquanto os participantes assistem uns aos outros, performers dançam e se apresentam simultaneamente e um hostess controla para que as pessoas mais animadas (algumas delas sozinhas, em dupla etc) fiquem em evidência no centro da tela. É um pouco confuso no começo, mas com o tempo (e com a ingestão de alguns drinks) a atmosfera de balada vai tomando conta e a maioria se solta. Ou seja, há muita nudez, masturbação, sexo ao vivo e exibicionismo. Pra quem gosta de observar e interagir, é um prato cheio!

Mas como nem só de festas oficiais viverás o homem, descobri que tem muita gente organizando suas próprias festinhas online, seja usando o skype, o hangout ou a livecam de redes sociais como o Sexlog (que durante a pandemia está aberta para quem quiser assistir).

Fiz uma rápida pesquisa e, dentre as 1.067 pessoas que responderam, 74% já tiveram uma experiência de suruba virtual (aqui consideramos suruba qualquer interação sexual online com mais de 4 pessoas ao mesmo tempo).

E parece que tem sido um sucesso, já que 58% dão nota 10 para a experiência e apenas 1,4% dão nota zero para a websuruba.

Aproveitei para descobrir o que é sucesso e o que brocha na hora de transar online e achei as respostas interessantes pra quem quer aprender como deixar saudade depois que a conexão se encerra (os nomes aqui são apelidos, usados pelos entrevistados na rede social Sexlog):

O que brocha na websuruba

"Muita conversa paralela" fadaemago

"Quando o cara goza antes da mulher" unaimoreno

"A mulher ficar escondendo  a perseguida kk" safadodotadissimo

"A preocupação em como está se mostrando, tentar ver e mostrar ao mesmo tempo, acho que perde o foco no sexo." ordenhadorjp

"Mal posicionamento das cameras" pretnho87

"Você habilitar a camera e o outro não" ksadovalp1

"internet caindo…" empresarioituano

O que é mais legal do sexo virtual

"Excitação, observar outras pessoas, estar sendo observado" crysmanfire

"Ver mulher usando vibrador" djrrdf

"Ouvir a pessoa falar que tá com tesao durante o ato" will132528

"Sexo virtual é muito bom, pois você ja tem uma boa noção do que te aguarda para o real, isso  acaba dando mais vontade " barbudo_9079

"Zoom nas partes íntimas" divorciado954

E você, já se aventurou pela websuruba? Tem vontade? Conta pra gente nos comentários!

Sobre a autora

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está – não estamos – só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Sobre o blog

Dados e pesquisas sobre sexo e o comportamento dos brasileiros entre quatro paredes. Muita informação, tendências, dados – e experiências próprias! - sobre o assunto. Um espaço para desafiar tabus e moralismos em torno do sexo.

Mayumi Sato