Topo
Mayumi Sato

Mayumi Sato

Categorias

Histórico

“Falta de amor" é o principal motivo para trair, diz pesquisa

Universa

18/05/2019 04h36

(Crédito: iStock)

Traição e infidelidade são temas polêmicos quando falamos de relacionamentos, principalmente por envolver muitas variáveis e percepções construídas socialmente. O que pode ser traição para alguns casais não é para outros e muita coisa depende da configuração e do combinado entre cada casal.

Uma pesquisa publicada pelo The Journal Of Sex Research traz alguns dados interessantes a respeito do motivo (ou motivos) pelo qual as pessoas traem. Entre os entrevistados, 77% dizem que o grande motivo é falta de amor na relação. Outros 70% afirmam que a busca por novos parceiros ou parceiras começa quando se sentem negligenciados emocional ou sexualmente.

Veja também:

Outro dado: 74% traem simplesmente por quererem mais variedade de parceiros sexuais. Outros motivos interessantes apontados pela pesquisa são a oportunidade de transar com alguém quando bêbado (a), a atração por outra pessoa e a sensação de novidade que a traição proporciona.

Pode parecer óbvio, mas algumas dessas razões não são discutidas ou conversadas entre a maioria dos casais. Ainda existe um tabu em relação aos desejos do cônjuge que vai além das relações sexuais entre o próprio casal.

E se todos esses motivos considerados traição se tornassem necessidades ou curiosidades que os próprios casais pudessem resolver entre si? Será que ainda veríamos tudo isso como traição? A base de um relacionamento saudável parte de deixar claro para o seu parceiro ou parceira quais os seus desejos sexuais que não estão contemplados dentro do relacionamento. Através do diálogo, talvez a falta de amor deixasse de ser a maior razão para a infidelidade. Ou não.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está – não estamos – só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Sobre o blog

Dados e pesquisas sobre sexo e o comportamento dos brasileiros entre quatro paredes. Muita informação, tendências, dados – e experiências próprias! - sobre o assunto. Um espaço para desafiar tabus e moralismos em torno do sexo.

Mais Mayumi Sato